I am just not that into basics.

 

Por ter formação na área e já me ter cruzado com tanta gente, uma coisa eu tenho a certeza, não há ninguém igual a ninguém. O guarda-roupa de alguém é a sua segunda pele e para além de um bem essencial à vida diária, é através da roupa que te expressas. É como uma segunda identidade, por mais que te esforces a nega-lo.

Mas do que eu realmente quero falar é dos conselhos e listas de peças essenciais ao guarda-roupa que vejo por aí e me dão imensa comichão. E o mais incrível é toda a gente ir naquilo e acreditar que vestirmo-nos bem, é como uma receita. Se tiveres um vestido preto, uma gabardine, uma camisa branca…tens um guarda-roupa completo para enfrentar qualquer situação. E se eu simplesmente não gostar de camisas?

Há regras de proporção, de cor para cada tipo de corpo, de pele e cabelo. Mas não há regras para o estilo e atitude. O mais difícil, quando se veste alguém, é mantê-lo fiel a ele próprio mas numa melhor versão e não mudá-lo da noite para o dia e convence-lo que assim é que está muito bonito.

E há quem ache que há regras para as compras e devemos apostar nos básicos. Face Palm. Ora bem, será melhor aquele vestido florido, que é um vestido casual perfeitamente adaptável para um dia de trabalho mais quente, mas que com os acessórios certos também pode ser para uma saída noturna, ou vamos comprar uma t-shirt branca porque é um clássico e dá com tudo? Pelo amor da santa. Que chatinhos que vocês são. Cada caso é cada caso. Ou cada carteira.

Cada pessoa tem de ter um guarda-roupa à sua medida. O meu guarda-roupa é feito de peças especiais e não o podia adorar mais. Aposto em peças diferentes ou nas quais me apaixono à primeira vista. E é por isso, que as peças me duram anos e consigo adaptá-las às mais diferentes situações: são histórias de amor. Mas sem seguir qualquer regra, a roupa é divertida, é expressão. E a minha roupa é mais do que meros bocaditos de tecido, muito pelo contrário, fazem parte de quem eu sou. E isto, sem qualquer cariz de hino ao materialismo, mas mais de simbolismo. Até porque faço imensa reciclagem e como disse, as minhas peças tendem a durar anos. Aliás, o verdadeiro segredo do styling é a pura mistura. Também tenho clássicos e coisas mais neutras, mas não lhes chamo básicos. Básicas são as pessoazinhas que andam por aí a fazer listas e a editar livros todos iguais.

A verdadeira lista é muito mais simples. Conhece melhor o teu corpo. Experimenta. Expressa-te. Sente-te bem contigo.

E há pouco tempo deparei-me com esta frase numa revista de moda e ouviu-se um pequeno plim cintilante dentro da minha cabeça. É isto mesmo, faz todo o sentido:

“Favorite clothes can be trusted confidants, perfect partners or best friends for ever, so when it comes to building a perfect wardrobe, make sure you love the ones you’re with.”

I have a degree in it and I’ve met so many people, that one thing I’m sure of, nobody is the same. Somebody’s wardrobe is her second skin and besides being essential to life, it’s trough clothes that you express yourself. It’s like a second identity, even if you try to deny it. But what I really want to talk about, it’s from the advices and essential pieces lists to the wardrobe that I see around and cause me a lot of itching. And the most incredible it’s that are a lot of people that believe that to dress well is like a recipe. If you have a black dress, a trenchcoat, a white blouse..you have a complete wardrobe ready to face any situation. What if I simply don’t like blouses? There are rules to proportion, of color to every bodytype, skin and hair. But there are no rules for style and attitude. The hardest is to dress someone and keep him faithful to himself in a better version and not change him like from night to day and convince him that he is prettier that way. And there are people that think there are rules for shopping too and we should bet in the basics. Face palm. Let’s see, will it be better to buy that floral dress, a perfect casual dress that adapts to a summer work day, but with the right accessories can be also the perfect outfit to go out at night or let’s purchase that white t-shirt because it’s a classic and coordinates with everything. Oh my god. You are so boring. Every case is a case. Or every wallet. Each person must have a wardrobe  that fits her. My wardrobe is made of special pieces and I couldn’t love it more. I take risk in unique pieces or some that I fall in love at first sight. And that’s why they live years and I can adapt them to so many different situations: they are love stories. But without following any rule, because clothes are supposed to be fun, its expression. And my clothes are more than bits of fabric, they are part of who I am. And I say this without turn it into a materialism anthem, its more like a symbolism. Even because I do a lot of recycle and as I said before, my pieces tend to live for years. That’s the real secret of styling, the pure mix. I also have classics and things more neutral, but I don’t call them basics. Basics are the little people that walk around and make lists and write books all look-a-like. The true list is very simple. Know your body better. Experiment/ Try. Express yourself. Feel good about you. And some time ago, i found this sentence in a fashion magazine and I heard a magical plim inside my head. It’s really it, makes so much sense:  “Favorite clothes can be trusted confidants, perfect partners or best friends for ever, so when it comes to building a perfect wardrobe, make sure you love the ones you’re with.”

 



11 candies:

  1. nao podia mais concordar com tudo e principalmente com o nervosismo que sinto com as receitas;)

    ReplyDelete
  2. Clap clap clap, é mesmo isso! Os "básicos" não têm de ser iguais para toda a gente (somos todos diferentes, porque é que os nossos estilos hão-de ser todos iguais?) e cada um os interpreta à sua maneira e de acordo com a sua personalidade. Acima de tudo, acho que devemos usar aquilo que nos fica bem e que nos faz sentir bem, independentemente do que digam as revistas, os blogs ou seja lá o que for :)

    ReplyDelete
  3. inês li este teu texto hoje de manhã enqunto tomava o pequeno almoço e disse: AMEN SISTER!! Caramba é tão isto.

    ReplyDelete
  4. Ora tu sem dúvida que ao menos não tens o estilo igual ao de ninguém! ahahahaha. Bom texto Inês :)

    ReplyDelete
    Replies
    1. obrigada Vanessinha! um beijinho :)

      Delete
  5. É isso mesmo... eu normalmente aproveito os saldos para comprar aquelas peças irreverentes que, além de serem mais caras, são passíveis de arrependimento. Assim se uns tempos depois achas que já não são assim tão o meu estilo (ou que afinal não tenho tomates para as usar) o arrependimento não é tão grande. Os básicos e as peças mais normalecas e sem graça ficam para o resto do ano, à medida que me vão fazendo falta.

    Beijinhos
    http://bonecadtrapo.blogspot.pt/

    ReplyDelete